Coma como um rei

13/06/2010

Por Mariana Francavilla:

Até 5 de junho, o Polo Praça XV, no Rio de Janeiro, apresenta a terceira edição do Festival Comendo como um Rei. O prato principal do banquete é a substanciosa lasanha, que ganhou 13 versões preparadas pelos restaurantes participantes para celebrar a temporada Outono/Inverno.

Com o tema “novos sabores para uma antiga paixão”, as receitas incrementam o tradicional prato italiano com ingredientes como palmito pupunha, quibebe de abóbora, carne seca, costela desfiada, brie, rúcula e salmão defumado.

Entre as opções do festival está a Lasanha mediterrânea, prato frio com camadas de massa intercaladas com frutos do mar, regadas ao azeite. A sugestão é do recém-inaugurado Bistrô Ouvidor. Outra receita é a Lasanha de massa fresca com camarão frito no azeite e abobrinha grelhada, assinada pelo chef Frederic Monnier, da Brasserie Rosário.

A popular bolonhesa também faz parte da mesa do rei, servida pelo Via 15 Botequim. Quem preferir uma versão mais leve, a sugestão é a do restaurante Mercado 32. No lugar da pasta, berinjela intercalada com abobrinha e mussarela de búfala.


O banquete desta edição explorou novos sabores, texturas e temperaturas, sem perder a característica do prato, originalmente, preparado em camadas numa travessa. A palavra Lasanha vem do grego lasanon, termo que foi emprestado pelos romanos como lasanum para significar pote de cozinhar. Antes de ser absorvido pela culinária italiana, há evidências de que a receita tenha figurado na mesa da corte inglesa do século XIV.

Anúncios

Montanha e sabor

13/06/2010

Por Mariana Francavilla:

Novo prato da Boa Lembrança do restaurante

A Confraria do Sabor em Campos do Jordão, em pleno Capivari, é daqueles restaurantes de elegância discreta, em que cada detalhe cria um conjunto muito bem concebido e harmonioso. Da atmosfera e decoração clássico/moderna, com suas paredes cor de vinho, lareira ao centro e mesas com toalhas brancas, ao clima aconchegante e convidativo, tudo leva a um cenário ideal para se degustar sua cozinha a cargo de Fernando Couto.

Inovadores e saborosos, os pratos optam pelos ingredientes frescos, alguns deles da própria região serrana. Detalhe: a Confraria do Sabor foge do clichê chalé suíço, muito comum em Campos do Jordão.

Antes de abrir o restaurante, Fernando Couto gerenciou hotéis e ocupou-se da área de alimentos e bebidas, daí sua intimidade com a culinária. Ele fez vários cursos de gastronomia até que resolveu inaugurar a Confraria, onde além de proprietário é também o chef. No couvert, há pãozinho de leite, de curry com passas, centeio com nozes, chocolate com café e manteigas aromatizadas de alho, de laranja, de tomate seco e alice e queijo de cabra com pimenta.

Entre a boa seleção de pratos, destacam-se o soufflé de alcachofra e molho shoyu, imperdível. As boas surpresas prosseguem à hora da sobremesa. Um simples brigadeiro em colher torna-se extremamente sofisticado pelo modo como é concebido: servido em um imponente prato negro de cerâmica japonesa, o Brigadeiro e Seu Figurino fazem a alegria do comensal. O atendimento é cordial, com jovens recrutados da região, muito bem treinados pela equipe. Alguns deles, inclusive, têm cursos na ABS e garantem um bom serviço de vinhos.

Por Mariana Francavilla:

Reprodução do site A Nossa Cozinha

Que tal celebrar o Dia dos Namorados literalmente com a mão na massa? O espaço cultural gourmet A Nossa Cozinha vai promover uma aula-jantar para casais no próximo dia 12 de junho, a partir das 20 h. Comandados pelos chefs Beto Rocha e Flávia Carnicelli, cada casal poderá escolher um dos pratos do jantar para cozinhar, entre a entrada, prato principal e sobremesa.

A idéia é que os homens cozinhem com Flávia e preparem um dos pratos para as suas companheiras, enquanto as mulheres, com orientação de Beto, preparem o mesmo prato para seus namorados.

Antes do jantar, todos serão recebidos com um bruschetinhas de queijo de cabra gratinada com mel de trufas e pistache, tomate ralado regado no azeite de oliva com manjericão e flor de sal, pesto de limão, gengibre e alcaparra, e cogumelos e queijo brie.

No menu, a entrada será uma terrine de sopa de cebola com croûte de queijo emmental gratinado. Como prato principal, cordeiro marroquino cozido lentamente com especiarias e servido com cuscuz soltinho e cherne no papelote com minilegumes. E para finalizar, as sobremesas são um bolinho quente de chocolate com creme inglês de limão e água de rosas e um espetinho de frutas.

O valor por casal será de R$ 380, com harmonização de uma taça de vinho por prato. As vagas são limitadas e as reservas podem ser feitas pelo telefone (11) 5533 4181.

Caipirinha Árabe

13/06/2010

Por Mariana Francavilla:

Capirinha, caipiroska, saquerinha, caipilé. Para quem achava que a bebida oficial dos brasileiros já tinha saturado nas suas variantes, o Alibabar Bar e Chopperia, em Santana, zona norte de São Paulo, cria mais uma versão: a Caiprinha do Oriente (R$ 12,90).


A base de Arak – destilado árabe de tâmara ou uva e aromatizado com anis e especiarias, o novo drinque, nos sabores limão ou abacaxi, ainda leva um toque de hortelã. A combinação resulta em um aroma suave de anis e sabor refrescante das frutas tropicais.

A idéia surgiu com a intenção de unir a preferência nacional pela caipirinha com uma bebida tipicamente do Oriente, indo de encontro ao conceito da casa que tem identidade árabe, mas jeitinho brasileiro.

Por Mariana Francavilla:

A 48ª Equipotel, maior e melhor feira de hotelaria e gastronomia da América Latina, vai acontecer de 13 a 16 de setembro de 2010, no Pavilhão de Exposições do Anhembi, em São Paulo.

O evento será o local “cinco estrelas” para empresários e fornecedores fecharem ótimos negócios e discutirem o futuro dos setores de hospedagem e food service nos próximos anos.

Em 2010, o evento terá quase 10% a mais de expositores em relação ao ano passado, chegando próximo a 700 empresas, número que representa aumento de 17% em área construída se comparado com 2009. A expectativa da Equipotel é receber durante os quatro dias de evento mais de 50 mil visitantes nos 55 mil/m² de Feira.

Por Mariana Francavilla:

Após uma bebedeira é difícil escapar dos sintomas que aparecem algum tempo depois do último gole. Isto acontece porque o álcool estimula a produção de algumas substâncias que geram náuseas, dor de cabeça, desidratação e cansaço. Porém, a chamada ressaca tem um poderoso “remédio”: o leite.

O leite fornece substâncias essenciais para a reidratação do organismo, pois é uma boa opção para repor água, proteínas, carboidratos, lipídeos, minerais e vitaminas para quem exagerou nas bebidas alcoólicas. O potássio da bebida também ajuda a contra atacar os efeitos do sódio, na retenção de água, e a vitamina B6 aumenta a capacidade dos rins em excretar sódio.

Além disso, para diminuir a sensação de cansaço, normalmente decorrentes da diminuição da glicose sanguínea, cada copo de leite contribui com 6 gramas de lactose, um açúcar importante na reposição de energia. O ideal é incluir três copos de leite, por dia, em qualquer situação, já que além dos nutrientes, a bebida é campeã na hidratação.

Mas se você não gosta de leite, pode optar por receitas que incluam a bebida, como vitaminas de banana ou a combinação que agradar!

Matéria especial por Mariana Francavilla:


Com o inverno chegando, nada melhor que um bom vinho para acompanhar as refeições. Além de gostoso, o vinho bem combinado e usufruido de maneira certa também faz bem a saúde. Mas como escolher e combinar o vinho correto com cada refeição?

O vinho é uma bebida alcoólica produzida pela fermentação de uvas fescas, inteiras ou esmagadas. Ele possui uma longa história, pois acredita-se que teve sua origem 6000 anos a.C., nos atuais territórios da Geórgia ou do Irã.

Com a evolução da viticultura, uma grande diversidade de vinhos se tornou disponível, a partir de diversas variedades de uva cultivadas, de métodos diferenciados de elaboração e da importação de vinhos de outras regiões. E a partir das características gustativas do vinho, pode-se fazer a melhor escolha para acompanhar pratos das culinárias tradicional, regional e criativa, criando um conjunto sensorial de grande prazer. Essa combinação entre vinho e gastronomia recebe o nome de Enogastronomia.

Existem três exames que devem ser feitos na hora de escolher e reconhecer a qualidade de um vinho são eles: o exame visual, o exame olfatório e o exame gustativo.

O EXAME VISUAL

O exame visual do vinho é feito através da percepção de seguintes aspectos: LIMPIDEZ, todo vinho correto deve apresentar-se límpido, isto é, sem partículas em suspensão e sem depósito; TRANSPARÊNCIA, um vinho correto não pode estar turvo, deve apresentar-se transparente; BRILHO, as características de limpidez, viscosidade e transparência reunidas causam reflexos intensos nos vinhos, os quais podem apresentar um aspecto brilhante; VISCOSIDADE, uma certa aderência do líquido nas paredes da taça, quando é agitada e colocada em repouso; COR, a cor de um vinho deve ser examinada cuidadosamente, pois fornece informações importantes sobre o vinho. Com o envelhecimento, os vinhos tintos vão tomando tonalidade alaranjada e chegam até à cor de tijolo. Já nos brancos o envelhecimento provoca mudança de cor amarelo palha para dourado.

RESUMO DAS PRINCIPAIS VARIAÇÕES DE COR

TINTOS JOVENS: De violeta pálido a rubi intenso

TINTOS MADUROS: De rubi pálido com reflexos alaranjados a marrom tijolo (âmbar)

BRANCOS JOVENS: De amarelo palha com reflexos esverdeados ou com reflexos dourados

BRANCOS MADUROS: De levemente dourado a intensamente dourado

ROSÉS JOVENS: De rosa claro à rosa escuro

ROSÉS MADUROS: De rosa escuro com reflexos dourados até âmbar

O EXAME OLFATÒRIO


Continue lendo »