Produzindo TV

13/06/2010

Por Natália Löft:

Fazer televisão é cada vez mais comum, mas nada fácil. É necessário um bom projeto, com uma boa justificativa para que, depois de aprovado por alguma emissora conseguir-se patrocinadores para então começar a produção do programa.

Depois do projeto temos a pré-produção quando são feitos os levantamentos das necessidades gerais para a realização do programa. Achar um roteirista bom, um diretor que atenda as necessidades do projeto, pensar no cenários, nos possíveis atores ou apresentadores, conferir a disponibilidade dos mesmos. Depois se faz o orçamento para todas as necessidades. E ai por ultimo começa-se a produção do programa.

Anúncios

Famílias na TV

13/06/2010

Por Natália Löft:

Os seriados brasileiros sempre apostaram em temas do cotidiano, mas o tema mais recorrente dos seriados de comédia do Brasil são as famílias e suas singularidades. Todo mundo adora A Grande Família, quem não queria ter a Nenê como mãe, ou não teve uma discussão com o pai pois ele, assim como o “Lineuzinho” ele cobrava demais dos filhos que não são assim tão responsáveis.

Mas o pior pesadelo seria ter a família do Miguel Falabella em Toma Lá Dá Cá, uma filha vigarista, o outro pai de gêmeos, morar com a mulher do padrasto dos seus filhos, que por sua vez mora no apartamento da frente com sua ex-mulher. Contudo o seriado rendia boas risadas e bons índices no Ibope.

Nos seriados americanos também encontramos famílias bizarras, como é o caso de Two and a Half Men, uma família de dois irmãos que moram com o filho do mais velho. Muitas confusões na maneira de educar e ensinar o menino, pois ambos não são exemplos a serem seguidos.

Por Natália Löft:

Amigos são sempre bem vindos, amigos de verdade, os quais se pode confiar então, nem se fala. Grandes sucessos da telinha usam a amizade como assunto principal e não erram. É o caso da série que leva o nome deles, f.r.i.e.n.d.s., amigos em inglês, teve dez temporadas, uma melhor que a outra e quem não chorou no ultimo capítulo em que Monica e Chandler vão embora de Nova York, não tem amigos como eles,

Friends é reprisado até hoje em vários horários no Warner Chanel, e quem gosta sente saudades das estréias dos novos capítulos e fica imaginando o que teria acontecido com os seis amigos mais queridos das séries de TV. Mas há uma variedade de novos programas que tratam do assunto com grande qualidade alternativa para os que gostam de assistir a interação entre amigos.

A comédia The Big Bang Theory fala da amizade entre nerds e uma patricinha que são vizinhos e acabam virando grande amigos. Além deles a série dramática Gossip Girl fala da amizade, e traição da amizade, entre adolescentes da alta sociedade de Nova York. Sex and the City também fala da amizade de quatro mulheres que se conhecem ainda solteiras e mesmo depois de casar, namorar e transar muito, ainda se encontram no final de tarde para rir degustando uma marguarita. Para os mais novos, ou não, o eterno chaves mostra que amizade não tem preconceito e fala de crianças mexicanas que tem diferentes condições mas que na hora da brincadeira esquecem de todas elas.

TV Literária

13/06/2010

Por Natália Löft:


Ler é uma experiência incomparável. Criar mundos, visualizar personagens, entrar em histórias inventadas por autores diversos. Ler é uma “viagem”, uma viagem sem limites e sem grandes necessidades, precisamos apenas de um autor criativo e de uma boa imaginação. Hoje em dia é muito comum diretores colocarem as suas imaginações nas telas e dividem conosco suas experiências literárias.

Series de livros Best Sellers viram TVshows de grande sucessos. Como é o caso de várias séries como Sex and the City, sucesso tal que teve muitas temporadas e já está no segundo filme. Gossip Girl também conta com apoio de livros Best Sellers para a garantia do seu sucesso.

Mães na televisão

13/06/2010

Por Natália Löft:

Marieta Severo é Nenê na Grande Família

Sem elas não há vida, elas estão em todos os lugares. Na sua casa, na casa do seu vizinho, quando você visita se amigo. O fato é que as mães estão espalhadas pelo mundo. As encontramos nos mais diversos formatos, tipos e tamanhos, e como a televisão relata a realidade (com exceção dos programas de ficção), as mães estão na telinha também.

Todos já ouviram aquele ditado que diz “mãe é tudo igual, só muda o endereço”, mas não é bem assim, na telinha existem as mais diversas mães que, como toda mulher que se preze, tem as mais diversas idéias, neuras e maneiras de demonstrar o carinho que tem pelos seus filhotes. A Nenê da Grande Família é uma mãe bem brasileira sempre tentando proteger os filhos e acolhe a todos na família, assim como a Nora Walker de Brother & Sister, uma mãezona. Já Lorelai de Gilmore Girls é uma mãe mais jovem, mais melhor amiga, nem sempre conselheira, na maioria das vezes ela acaba aconselhada, mas muito amável.

Por Natália Löft:

Hoje em dia eles estão em todos os canais e arrecadam uma multidão de expectadores que vibram, torcem, se revoltam e participam ativamente em sua condução. São os famosos reality shows, programas baseados na vida real, onde os acontecimentos são fruto da realidade, ou seja, os participantes são pessoas reais, não personagens de uma obra de ficção.

O primeiro reality show como conhecemos remota a 1973 e foi exibido nos EUA. Se tratava de An American Family, onde a vida de uma familia era transmitida pela TV e que foi sucesso na época.
Entretanto, a febre atual nasceu na Holanda, com o surgimento do primeiro
Big Brother. No Brasil, o formato chegou oficialmente em 2000, com a estréia de No Limite que foi sucesso. Depois dele, muitos mais vieram. Provavelmente o maior sucesso entre os realities mundiais é o Big Brother, sucesso esse que se repetiul. Exibido pela Globo, com apresentação de Pedro Bial, virou febre nacional e deu origem a outros realities como A casa dos Artistas e mais atualmente A fazenda.

REPEAT!

13/06/2010

Por Natália Löft:

A televisão aberta, que a menos de 10 anos não tinha uma programação muito completa utilizava repeat como ferramenta para completar as programações. Hoje em dia já existe uma maior diversidade na programação, além de muito mais produções que se renovam e refazem a cada semestre. Contudo existem programas que parecem serem eternos, mesmo parecendo em princípios bobagens e não agregam quase nada no conhecimento do espectador.

É o caso do programa Chaves, por exemplo, cujo produtor já deveria ter 50% das ações do SBT de tanto que apareceu na telinha da emissora. O mesmo acontece com a programação do Casseta e Planeta e Turma do Didi, ambos da rede globo, que por mais que está sempre em novas produções de quadros, estão constantemente fazendo imitações baratas e sem grandes novidades dramatúrgicas.

Existem programas que valem a pena continuar, é o caso da grande família, contudo há um limite, é necessário o uso da criatividade para o telespectador não se cansar de assistir sempre a mesma coisa.

TV on-line

13/06/2010

Por Natália Löft:

Num passado não muito distante, mais especificamente em 2001, criou-se a primeira TV on-line do Brasil, com programação on-line 24 horas o All TV já não é mais exclusivo e nem novidade. Interação entre as várias mídias está cada vez mais comum e depois da criação do You tube, ficou cada vez mais comum e mais fácil ver televisão pela internet. A internet foi inundada por programas de televisão transmitindo seu streaming ao vivo ou permitindo que você assista aos vídeos posteriormente.

Na globo.com é possível assistir vídeos (previews) antes mesmo do programa ir para o ar. Além disso o programa é colocado na integra logo após a sua exibição. Reality shows, como o big brother tem vídeos exclusivos que só passam na web e no payperview. Cada vez mais vivemos uma era on-line e com a televisão não poderia ser diferente.

Diversificando a TV

13/06/2010

Por Natália Löft:

Cada vez mais canais estão disponíveis, tanto na TV aberta quanto na TV por assinatura. Programações nacionais competem entre si, o que força uma reformulação no quadro de horários e muita imaginação. Comédias, dramas, jogos de futebol, reality shows, todos tem espaço suficiente na telinha. Mas fica cada vez mais difícil se inteirar de tudo o que acontece na telinha.

Os canais brasileiros estão cada vez mais concorrentes. Grandes produções da nova dramaturgia brasileira trazem mais conteúdo e diversidade para os telespectadores brasileiros. A economia da industria cultural se anima, assim como os que assistem o produto pronto. Os canais investem em novas temporadas de reality shows já reconhecidos, em programas novos, em novos tipos de programas e em novas temporadas de programas já de longa data.

Novo canal GLOBOSAT

13/06/2010

Por Natália Löft:

A GLOBOSAT, maior programadora de TV por assinatura do Brasil, acaba de lançar um novo canal. Viva, como é chamdo, é a novidade do momento e surgiu como opção para quem tem tempo e gosta de assistir produções brasileiras de qualidade. O publico- alvo do novo canal são as mulheres, em especial as donas de casa que ficam muito tempo em casa e procuram algum canal que as informe e entretenham.

A programadora já tem 27 canais, na sua maioria de grande sucesso, e traz mais um para diversificar a programação da TV por assinatura. A GLOBOSAT atende aos mais variados públicos e tem canais com todos os tipos de programação. Desde canais mais específicos, como payperviews da playboy ou do campeonato brasileiro, ambos para o público masculino, até canais mais diversificados como a rede globo.

Programas consagrados na televisão brasileira, agora voltam as telas no Viva. Uma grande variedade de programas com filmes, séries, programas infanto-juvenis, novelas entre outros fazem a grade de horários. O canal promete uma programação fácil e linear e, segundo a programadora, chegou para ficar.